Investimentos do Governo do Estado em equipamentos qualificam produção de cafés gourmet no sudoeste baiano

Os mais de 150 agricultores familiares, filiados à Cooperativa Mista dos Pequenos Cafeicultores de Barra do Choça e Região (Cooperbac), comemoram a instalação de equipamentos para a qualificação da produção do café cultivado no Sudoeste Baiano. A cooperativa, que produz 280 mil sacas de café por ano, agora passa a contar com uma máquina empacotadora para café expresso gourmet, empacotadora a vácuo e equipamentos para implantação do Laboratório de Análise Sensorial de Café, possibilitando à cooperativa a comercialização direta do café, com laudos próprios.
 
O conjunto de equipamentos, que tiveram investimentos de R$770 mil, do Governo do Estado, possibilita a classificação e o empacotamento do café, além de agregar valor à produção e aumentar o faturamento dos produtores em cerca de 10%, em comparação à venda do mesmo grão vendido cru.
 
A marca Cooperbac Premium Gourmet Café Superior 100% Arábica, registrada desde 2019, é resultado do plano de negócios elaborado após convênio firmado entre a Cooperbac e a Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), empresa pública vinculada à Secretaria Estadual de Desenvolvimento Rural (SDR), por meio do edital Alianças Produtivas, do projeto Bahia Produtiva, executado a partir de acordo de empréstimo entre o Governo do Estado e o Banco Mundial.
 
Joahra Oliveira, presidente da Cooperbac, avalia que, com a instalação desses equipamentos, a produção da cooperativa ganha força, além de trazer segurança e crescimento no trabalho que a cooperativa realiza: “Estamos unidos e organizados e o governo estadual está nos ajudando a crescer. Vale mencionar que esse crescimento acontece com um acompanhamento sistemático, com capacitações sobre as novas tecnologias implantadas. Isso faz gerar mais renda para os cooperados, pois o que define o preço do café é a sua qualidade. Com essas novas tecnologias, poderemos adequar nossa produção e obter preços melhores”.
 
Com o Laboratório de Análise Sensorial de Café equipado, os laudos passam a ser emitidos por jovens profissionais, filhos de cooperados, que receberam capacitação específica, agregando valor ao café cru, que ainda não havia sido industrializado. Dessa forma, os cafés produzidos pela cooperativa poderão ser comercializados sem o intermédio de atravessadores. 
 
Mais investimentos
 
Por meio de três editais do Bahia Produtiva, Fruticultura, Alianças Produtivas e Qualificação de Agroindústria, o Governo do Estado está investindo R$ 4,1 milhões na Cooperbac, beneficiando diretamente 222 famílias. Os recursos estão sendo destinados na aquisição de equipamentos, implantação de unidade simplificada para laboratório de prova de café, unidade simplificada para secagem de café, aquisição de caminhão, construção de galpão para armazenagem, estufas de secagem, qualificação do processo de beneficiamento, seleção e secagem dos grãos de café, além da contratação de profissionais para atuarem na gestão de Aliança Produtiva, Implementação do Plano de Comunicação e Marketing e serviço de assistência técnica e extensão rural (Ater).
 
Atualmente, os agricultores familiares produtores de café do Sudoeste Baiano contam com um moderno complexo de apoio ao sistema produtivo da cafeicultura, abrangendo desde a base produtiva até a etapa final de torrefação, empacotamento e distribuição para o mercado, beneficiando, indiretamente, 9.433 agricultores familiares da região e possibilitando um salto de qualidade na produção. Apesar de ter a capacidade de produção reduzida neste período de pandemia da COVID-19, a cooperativa segue atuando e executando estratégias para continuar produzindo e comercializando.
Fonte: Ascom/Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR)